LANÇAMENTO • PRÉ-VENDA

UM SANTO BISPO ASSASSINADO POR UM PADRE DE MÁ VIDA

Pela premiada pena de Ana Maria César, sessenta e cinco anos depois do que ficou conhecido como “a tragédia de Garanhuns”, a 3ª edição de A Bala e a Mitra traz agora contribuições que evidenciam ainda mais as virtudes do Bispo do Perdão, com um prefácio de Dom Paulo Jackson, Bispo de Garanhuns (PE) e um capítulo do Pe. Thiago Lopes, postulador da causa de Dom Expedito Lopes. 

Envios a partir de: 26/07/2022

368 PÁGINAS

CAPA FLEXÍVEL

NOVA EDIÇÃO

O MAIS PROFUNDO ESPÍRITO DE ABNEGAÇÃO

Dom Francisco Expedito Lopes foi o 5° Bispo da Diocese de Garanhuns (PE) e o Fundador do Instituto das Missionários de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

Com profundo ardor, Dom Expedito doou-se totalmente ao serviço pastoral, sobretudo ao serviço dos pobres. Viveu a solicitude do Bom Pastor junto ao seu povo e já naquele tempo preocupou-se com as crianças pobres, fundando a Associação de Proteção dos Meninos e Meninas de Rua.

Morreu assassinado por um sacerdote do seu clero em 2 de julho de 1957, caso único na história da Igreja no Brasil.

Tendo-se em vista o mais profundo espírito de abnegação e de conformidade cristã à vontade de Deus revelados na hora de sua morte, perdoando generosamente, pedindo orações pelo seu agressor e pela santificação do clero; levando-se em conta os inúmeros favores que Deus tem concedido por sua intercessão, instituiu-se o Processo de Beatificação, na Diocese de Garanhuns (PE), por cujo êxito solicitamos suas preces e sacrifícios.

Este livro surge para contribuir de alguma maneira com o processo de Beatificação de Dom Francisco Expedito Lopes.

NASCI, VIVI E ESPERO MORRER SEM DINHEIRO

“Nasci pobre, vivi sempre pobremente e na esperança de vir a morrer sem dinheiro, sem dívidas e sem pecados, nada mais tenho a pedir senão que rezem muito para que Nosso Senhor nos conceda santos sacerdotes.”

– Dom Francisco Expedito Lopes

Palavras de seu Testamento

O QUE VOCÊ VAI ENCONTRAR NESTA OBRA

Envios a partir de: 26/07/2022

O QUE TORNA A VIDA DE DOM EXPEDITO SIGNIFICATIVA PARA O BRASIL E PARA A IGREJA?

Apóstolo do Perdão

Rezando profundamente, enfrentou com coragem a morte, momento que revelou uma vida toda fundamentada na Palavra do Senhor, Dom Expedito experimentou a alegria de perdoar, oferecendo sua vida pela conversão da pessoa que o feriu.

Bispo dos Pobres

Com profundo ardor doou-se totalmente ao serviço pastoral, sobretudo ao serviço dos pobres. Viveu a solicitude do Bom Pastor junto ao seu povo fundando a Associação de Proteção dos Meninos e Meninas de Rua.

Coração Mariano

Homem de oração e penitência, iluminou sua vida com uma profunda devoção a Nossa Senhora a quem carinhosamente chamava “Minha querida mãe do céu”.

Elevada Virtude

Destacou-se pela simplicidade e austeridade consigo mesmo, acolhimento às pessoas e forte zelo pela Igreja confirmado na firmeza da fé e no amor em plenitude.

Palavras de Dom Expedito durante sua agonia:

Arraste para os lados

Envios a partir de: 26/07/2022

Ana Maria César

Autora, professora, historiadora e ensaísta

Ana Maria César (Anna Maria Ventura de Lyra e César) é pernambucana do Recife, filha do desembargador Amaro de Lyra e César e de Áurea Ventura de Lyra e César.

Bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Recife (atual UFPE) e em Letras Neolatinas, pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Católica de Pernambuco.

Obras Premiadas:

O Tom Azul, romance –  Prêmio Dulce Chacon • A Faculdade Sitiada, história – Prêmio Amaro Quintas de História de Pernambuco

Títulos publicados:

• Lira e César, Juiz de Caruaru – ensaio biográfico (Cepe – 1981);
• Gênesis – crônicas (Comunicarte – 1984);
• A Bala e a Mitra – ensaio/reportagem – Prêmio Vânia Souto Carvalho, da Academia Pernambucana de Letras (Editora Bagaço – 1994);
• 50 anos do Senac em Pernambuco – história (Recife Gráfica Editora, 1996);
• O Tom Azul – romance – Prêmio Dulce Chacon, Academia Pernambucana de Letras (Editora Bagaço – 1997);
• Versos Voláteis – poesia (Recife Gráfica Editora, 1998);
• Habemus Panem – memórias de uma época (Editora Bagaço – 2001);
• No Limiar do Tempo – poesia (Editora Bagaço – 2005);
• A Bala e a Mitra – novos tempos e verdades antigas – 2ª edição (Editora Bagaço – 2007);
• A Faculdade Sitiada – história – Prêmio Amaro Quintas de História de Pernambuco, Academia Pernambucana de Letras (Cepe – 2009);
• Habemus Vinum – antimemórias do absurdo – ficção (Editora Bagaço – 2010);
• Último porto de Henrique Galvão – ensaio-reportagem (Cepe – 2013);
• Poemas arcaicos & outros mais – poesia (Edições Novo Horizonte – 2017).
• Três homens chamados João — uma tragédia em 1930 — ensaio-reportagem (Cepe — 2020).

EDITORA VERBO ENCARNADO LTDA.

© CNPJ 43.530.320/0001-66

*Imagens meramente ilustrativas. Envios a partir da data anunciada, podendo ocorrer variações para mais ou menos, conforme andamento da campanha.